segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Sobre as fases da Deusa. Sobre ser Deusa.


"E a Donzela...
É o botão que floresce.
Sua juventude é a coragem de vencer
Toque a terra e sinta a semente crescer!

E a Deusa Mãe...
É a promessa da vida.
Quando a Lua é cheia, sua luz podemos ver
Nos mostrando os caminho de poder!

E a Velha...
É a mulher que tece.
Seu conselho doce é fonte do saber.
Em suas mãos estão as teias do viver!"
♪♫

- Claudiney Prietto


Esses dias, ouvindo essa canção, refleti: será que a Deusa tem realmente essas separações? Será que "só a Donzela floresce, só a Mãe ilumina e só a velha tece"? E será que nós, como também Deusas, temos essas "divisões" em vida e personalidade?
Sei que muitos de vocês vão achar besteira o que estou escrevendo...
*é claro que sabemos que não é assim*, dirão. Mas percebi que só aprendemos que realmente não é assim quando compreendemos a Deusa de fato, em toda sua magnitude e dimensionalidade. E como percebemos isso? Vivendo-a. Sendo também a própria.

A Deusa tem fases (e faces!), com certeza. Mas quando dizemos que Ela possui fases, esquecemos por um momento, o que essa palavra significa e automaticamente, desassociamos uma fase da outra, e isso faz com que a Deusa se torne uma única fase, separada das demais. Quando, na verdade, é tudo junto. São todas uma só.
Fases, então, significa um período passageiro da Deusa. E um período passageiro da mulher. Mas isso não significa que está separado de outras fases. Uma Deusa ser Donzela não significa que Ela é somente Donzela, e que não contenha em si atributos da Mãe e da Velha - e até da Negra, que não é citada na letra da música!
Um grande exemplo disso é a própria Deusa Hécate, que é tida como uma Deusa Anciã, muito embora Ela seja Jovem. Afrodite também é um ótimo exemplo, pois quando se torna Velha, é Cipris.
Para entendermos melhor, peguemos o exemplo da própria Lua... a Lua tem fases. E essas fases não chegam de repente e vão embora do nada. Cada fase vai chegando vagarosamente, dando espaço para a outra se aprochegar. É um processo. Ela é Nova e vagarosamente, conforme vão passando-se os dias, ela vai crescendo, até virar Crescente de fato. Vai dando espaço para a Cheia - e perceba que nesse ponto ela continua crescendo! -, alcançando seu ápice. Depois, vai se recolhendo, até minguar e desaparecer. Porém, nesse processo, nenhuma fase está desassociada da outra. Todas compõem o todo que faz da Lua o que ela é e representa.
Não é só porque uma Deusa é retratada como Donzela, ou Mãe, ou Anciã, que Ela também não possua as demais fases. Assim como a Lua, há sempre uma fase predominante naquela Divindade, mas são todas as fases que a compõem e a tornam uma Deusa completa e complexa!

Nesse ponto, mais uma vez equiparamo-nos a Deusa. E entender todo esse
processo, toda essa co-existência, toda essa completude que pode residir somente em uma única fase, é libertador, pirante, evolutivo, transformador e unificante...
Mostra não somente a sua vivência como sendo verdadeira e você entendendo muitos mistérios, como também prova - mais uma vez! - a sua unidade com a Deusa.
*Assim em cima como embaixo*
Somos Deusas e passamos pelas mesmas fases que Ela.
Pode parecer bobo, mas essa co-existência eu só fui compreender e absorver DE FATO em meu caminho, a poucos dias atrás - e foi quando decidi fazer essa postagem para vocês! Pode ser que muitas de vocês já tenham absorvido esse conhecimento, essa vivência. Pode ser que outras, assim como eu, tenham absorvido somente agora. Mas o importante é entender e viver!

Ouvindo a música - e que fique claro que isso não é nem de longe uma crítica a obra; muito pelo contrário, pois essa é uma das minhas músicas prediletas! - pensei: Poxa! Não é só a Donzela que floresce, nem só a Mãe que ilumina, nem tampouco, só a Velha que é sábia. Eu sou jovem, e floresço a cada dia, a cada despertar. Floresço a cada evolução, a cada crescimento. Floresço a cada vitória, a cada projeto concretizado, a cada sonho realizado. Floresço a cada mês, quando sangro. Eu floresço a cada sorriso, mas também floresço a cada fracasso, a cada derrota, a cada tristeza. E floresço em todas as minhas fases.
Mas ao mesmo tempo que sou jovem, também sou mãe. Eu ilumino minhas filhas, ilumino os que comigo caminham, sim. Mas não só. Ilumino também minha fase jovem, e também minha fase anciã. Ilumino a mim mesma todos os dias, e já iluminava antes de ser mãe.
E também reconheço em mim a sabedoria da Anciã. E também teço as teias da minha vida, as teias da vida dos outros, nesse grande tear que chamamos de vida, de Universo!
Antigamente, eu separava essas minhas fases, e consequentemente, separava a Deusa também. Mas entendi que é todo esse emaranhado de fases co-existindo que fazem de nós quem somos. Que fazem de nós verdadeiras Deusas.
Vamos passando por essas fases e agregando-as a grandeza que já somos. Vamos passando por essas fases, mas nunca as deixamos para trás. Vamos aprendendo, e crescendo, e nos tornando um ser completo, com todas as fases que temos por direito!

A princípio, é tudo muito simples. Temos uma Deusa, que se divide inicialmente em três Deusas - donzela, mãe e anciã - e que é representada pelas fases da lua, e etc. Mas quando vamos vivendo a bruxaria, quando vamos caminhando e aprendendo os mistérios, absorvendo-os e o mais importante, incorporando-os em nossa vida, é que compreendemos verdadeiramente quem somos, o que estamos fazendo aqui, para quê viemos, quem são os Deuses, o que Eles são, e o quanto Deles temos em nós!
São ensinamentos "simples", que sempre estiveram a um palmo de nós, mas que tivemos muita dificuldade para enxergar, para entender. E quando você entende, você sente até uma dificuldade de expressar-se - que é exatamente o que aconteceu comigo com relação a esse texto, que foi um parto redigir!
Porque os mistérios são assim mesmo. Se fossem para serem ditos, não seriam mistérios. Eles foram feitos para serem entendidos e vivenciados, e não falados. O que prova para você e outros a veracidade daquele mistério é a sua própria vivência!
Não separe a Deusa. Não a subdivida. Não faça isso com você. Entenda que você e Ela são iguais, são uma, e o que acontece com Ela também o acontece com você. Como funciona com Ela também funciona para você, porque somos somente um espelho daquilo que está ao redor.
Permita-se. Liberte-se. Compreenda-se.
Você é a Deusa.
Veja o quão magnifica você é. Você tem fases que co-existem e que te possibilitam ser quem você quiser, com a idade que tiver. Viva-as! Complete-se!

Bençãos,
Aline Pandora.

sábado, 17 de maio de 2014

Sacerdócio: a eterna entrega ao outro

Olá pessoal! Quanto tempo...
Decidi retomar projetos, e veio a mim a inspiração repentina de escrever para o Blog.
Ele está com visual 2014 e também novidades. Temos a página “Artigos”, onde eu postarei alguns artigos de autores pagãos que poderão agregar ao blog.
A partir desse ano, decidi que blog será mais voltado para textos reflexivos do que textos “de escolinha”, aquela coisa de ensinar. Basearei os textos na minha vivência e assim, os textos serão mais pautados na reflexão de assuntos mais profundos.
Antes de começar efetivamente a postagem, gostaria de pedir que votem nas enquetes ao lado. A opinião de vocês é muito importante para mim, pois são as inúmeras visitas no blog – mesmo ele estando desatualizado, rs – que me mantém firme nesse projeto.


"Nunca se dedique tanto, ao ponto de se esquecer de si mesmo!"
- Anônimo

A internet é realmente fascinante!
Além d’ela nos conectar com outras pessoas, ela ainda facilita a nossa observação pra com essas pessoas. E quando se é pública, como eu, conseguimos ainda mais acesso a todas essas facilidades e privilégios que a internet, com suas redes sociais, nos proporciona.
E eu tenho observado, por meio da internet, a crescente formação repentina de Sacerdotisas e Sacerdotes da Arte. Eles se expõem, escrevem grandes textos, fazem inúmeros vídeos, possuem vários dedicados e seguidores. Mas se tornar uma Sacerdotisa ou Sacerdote da Bruxaria, que são a voz e representação dos Deuses no mundo, não é assim tão fácil não é?!

A Bruxaria é uma religião sacerdotal, lembrando claro, que também é tida como ofício e filosofia de vida – embora eu não concorde com essa tese.
O sacerdócio da Bruxaria, historicamente, nos remete as civilizações pré-gregas, mais especificamente ao povo minóico, da Antiga Creta, até a linha dois.
Mas o que, na verdade, é um Sacerdote?
A raiz da palavra Sacerdote é duvidosa. Segundo minhas pesquisas, pode ter duas origens: do latim, sakro-dots, que significa aquele que desempenha, ou do grego, com as junções das palavras sacer=sagrado e dhe=fazer. Seja lá qual for a verdadeira origem, a essência a palavra é a mesma: desempenhar um papel sagrado no mundo, um papel que represente os Deuses – ou a Divindade daquela crença.
Na Bruxaria, então, nos tornamos Sacerdotisas/ Sacerdotes depois que iniciamos no 1º grau, geralmente. Isso pode variar de tradição para tradição, pois há tradições que não seguem o sistema de graus, porém sempre há uma forma de determinar o grau de conhecimento e preparo para o neófito se iniciar; ou quando se é solitário, pois aí, não há a necessidades dos graus, a não ser que o postulante queira.
Como todos já devem saber, antes da Iniciação acontecer, passamos pelo período da dedicação, onde se aprende e vivencia todo o necessário para se atingir a iniciação.
Revisões à parte, o assunto não é esse.
A questão é que o crescimento de Sacerdotisas/ Sacerdotes hoje em dia, está rápido demais, fazendo assim com que essas respectivas “sacerdotisas/ sacerdotes” não mereçam esse título de fato.
Tudo bem... já foi explicado o que é uma Sacerdotisa/ Sacerdote e como pode-se chegar até lá. Mas e depois? Porque tornar-se uma Sacerdotisa/ Sacerdote é fácil, o difícil é exercer verdadeiramente o sacerdócio.
Não damos o devido valor as nossas Sacerdotisas até nos tornarmos uma – é bem aquele lance de mãe, você nunca sabe de fato o que é ser uma até se tornar a própria. Então, hoje, eu posso afirmar que ser sacerdotisa consiste, em grande, na entrega parcial, se não total, ao outro. Entrega do seu tempo, da sua vida e de você ao seu Coven, a sua família espiritual, ou até mesmo, aqueles que você se propõe a ajudar mesmo sem ter um Coven.
Isso ocorre porque as Sacerdotisas/ Sacerdotes, como dito antes, são a representação e voz dos Deuses, sendo responsáveis por disseminar aquela crença sem o prosélito. E quando se tem um Coven, isso se multiplica, pois os Sacerdotes passam a ter responsabilidades por aquelas pessoas.
Contudo, muitas Brux@s não enxergam o sacerdócio por esse prisma. Por isso, o Coven ao qual faço parte – Coven Semente Ancestral – dá opção ao iniciando; a opção de seguir o sacerdócio com o objetivo em usá-lo para fazer crescer a crença, ou a opção de usar o sacerdócio para si.
O problema de algumas figuras sacerdotais da internet é que elas não conseguem entender que ser uma sacerdotisa/ sacerdote não consiste simplesmente em fazer vídeos para o povo bruxístico. Ser uma Sacerdotisa é algo muito sério e de inteira profundidade, onde a responsabilidade é muito exigida e que, infelizmente, com o crescimento da Bruxaria e da Wicca principalmente, banalizou-se tal prática.


La Charité, de William Bouguereau.
Essa obra retrata muito bem o aspecto
Mãe da Deusa, mostrando-nos que as
Sacerdotisas desempenham o
papel das mães espirituais.
Quando torna-se uma Sacerdotisa, o sacerdócio também é para você, serve para a sua ascensão e para a sua conexão com os Deuses, mas também grande do seu sacerdócio é para o outro. A Sacerdotisa não deve simplesmente passar conhecimentos avançados, mas é sua responsabilidade e dever também auxiliar na cura daquelas pessoas, do crescimento individual daquela pessoa para que, um dia, essa pessoa possa então, tornar-se também a voz dos Deuses para os demais.
Com isso, nos abdicamos de grandes prazeres e momentos individuais de nossa vida em prol do outro. As Sacerdotisas vivem sempre dois ou mais caminhos: o dela e os dos outros, seus dedicados e filhos.
Paralelamente à isso, temos também o perfeito amor e perfeita confiança que a mesma precisa ter, manter e disseminar dentro do Coven, o que não é uma tarefa fácil uma vez que estamos falando de relações humanas.
Temos o péssimo o hábito, principalmente quando estamos no começo, de achar que nossas Sacerdotisas/ Sacerdotes são perfeitos e nunca erram. Mas além desse ser um tremendo ato de egoísmo é também um grande engano, pois nesse emaranhado de afazeres o mais comum seria errar, tentando acertar. A única diferença – e significante, diga-se de passagem! – é que as Sacerdotis@s possuem sempre a voz dos Deuses auxiliando-as. Mas isso não os deixa imune a erros, até porque, os erros servem na maioria das vezes, para acertarmos. Uma Sacerdotis@ não nasce sabendo ser Sacerdotis@ - embora já tenha uma inclinação para tal desde o início. Minha Sacerdotisa – Lua Serena – costuma dizer que quando nasce o primeiro Iniciado, nasce também a Sacerdotisa.
Logo, poderia afirmar com certeza que, ser Sacerdotis@ é, muitas vezes, se anular e anular a sua vida para viver a vida do outro. É realmente ser mães e pais espirituais. Não esquecendo, é claro, da sua prática individual não é?! Sacerdotis@s precisam estar equilibradas e conectadas o tempo todo, pois aprenderam fazer isso e escolheram que seria assim. Nem sempre isso é possível, mas as verdadeiras sempre tentam... e na maioria das vezes, conseguem, hehe.

Nossa, mas se ser Sacerdotis@ é tanta responsabilidade e peso assim, eu não quero me tornar uma/ um não!
É o que mais ouvimos, rs.
Mas acalme-se... por isso, você tem a escolha de tornar-se um sacerdote solitário ou um sacerdote de Coven.
Nossas Sacerdotis@s são nossas ancestrais.
A ancestralidade é de grande importância
na Bruxaria.
Quando escolhe-se a segunda opção, é inegável o trabalho, a responsabilidade, o peso, etc, etc, etc... mas também é inegável a gratidão, o amor e carinho que se recebe, os presentes – as próprias pessoas do Coven -, as inúmeras curas. Quando se é Sacerdotis@ de um Coven, você não aprende somente com os seus erros, não se cura somente com as suas curas, não se alegra somente com as suas
vitórias. Você recebe tudo isso em dobro, triplo e muito mais, pois cada pessoa te acrescenta coisas ricas.
Já ouvi a frase Quando você se cura, você cura todos ao seu redor? A Sacerdotis@ é uma eterna curadora, uma eterna moldadora de vidas.



Vale lembrar que depois da Iniciação, tudo fica mais pesado, independente de você já ter dedicados ou não.
Há momentos em que você se sente impotente, incapaz, não merecedora daqueles conhecimentos, daquela honra. Há momentos de imensa tristeza, de imensa alegria, de inúmeras lágrimas, de loucuras mentais,          neuras e tantas outras coisas. E quando se tem um Coven e mais, é Sacerdotis@ deste, é necessário se manter equilibrada para conduzir um ritual, uma celebração. A Sacerdotis@ é sempre um exemplo, até nos momentos ruins.
Essa reflexão serve, portanto, para nós dedicados, iniciados de 1º e 2º graus, que ainda não dedicamos pessoas. Seus Sacerdotes são seus ancestrais e deve-se dar o devido valor a eles, pois os verdadeiros fazem realmente de tudo por você e por tantos outros.

O intuito dessa postagem não é, entretanto, desanimar ninguém ao sacerdócio. Lembrem-se sempre que tudo na vida tem dois lados, e que ambos contêm ensinamentos profundos a nos passar. O intuito dessa postagem é, portanto, conscientizar as pessoas leigas ao que o que é o sacerdócio e o que as Sacerdotisas realmente representam no caminho de alguém. Hoje vemos iniciações feitas a rodo por aí, ao final de cursos pagos de Bruxaria, onde posso garantir-lhes que não se aprende nem um quarto do a Bruxaria como um todo abarca de fato. Isso acarreta grandes consequências para a crença e seus neófitos, fazendo não somente a crença ser levada levianamente, mas também formando Sacerdotis@s que não estão de fato preparadas para tal. Logo, fiquem espertos e de olhos bem abertos com quem vocês escolhem para guiar você no seu caminho.
Quer saber se tal pessoa é uma Sacerdotis@ de verdade? Observe a vida dessa pessoa.


Autoria: Aline Pandora.

Fonte de consulta para a raiz etimológica da palavra Sacerdote:
www.hridiomas.com.br

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

As Bruxas e o Natal

Nessa época do ano, vemos muitos pagãos postando em seus murais sobre o Natal ser um plágio, que fulano e ciclano não celebram por isso, isso e aquilo, que brux@s não devem montar árvores de natal, e todo esse blá, blá, blá.
#mepoupe
Na verdade e particularmente, eu não vejo problema em, nós bruxo@s, celebrarmos o Natal, ou melhor dizendo, as festas de fim de ano, pois muitos também implicam com o fato do ano novo ser o ano gregoriano.
Eu gosto muito das festas de fim ano, particularmente, e sempre celebrei. Isso não me faz menos bruxa... muito pelo contrário. Acredito eu que, o povo brux@ que aceita e celebra numa boa tem uma mente muito aberta e entende o que realmente é a Bruxaria, ao ponto de não se incomodarem de participar de uma festa aparentemente cristã, pois estão certos de sua essência, seu caminho, no que creem.
No meu caso, eu sempre celebrei porque meus familiares são católicos em sua maioria, e eu nunca tive como fugir - não que eu quisesse. Sempre fico muito animada para essas ocasiões: festejar, ficar junto dos meus queridos e amados, montar a árvore.
Você não participar desses festejos por realmente não se sente bem, é uma coisa. Agora, você não participar por preconceitos e raiva, acredito que já seja outra coisa. Te aconselho a refletir melhor.
Houve um tempo, na época em que eu estava começando na Bruxaria, que eu não queria mais celebrar nada dessas coisas: páscoa, natal, ano novo...
Mas depois percebei que era besteira, pois fui amadurecendo, estudando e tendo uma outra visão das coisas! Hoje, acredito que antes de qualquer motivo, não celebrar esses festejos é uma forma muito egoísta de levar a vida, pois os seus familiares por vezes te esperam nesse momento.


Tudo bem vai, concordo plenamente que o Natal não é realmente o Natal né - se é que vocês me entendem, e sei que entendem. Sim, é uma festa pagã com roupagens cristãs e, para alguns, não há sentido celebra-lo nessa época do ano, de acordo com a nossa Roda.
Mas se não é de fato uma festividade cristã, qual é o problema de estarmos presentes?
As festas de fim de ano são, antes de tudo, um momento muito feliz, de estarmos com nossas famílias, que por vezes, é somente naquele momento que temos essa oportunidade - como no meu caso! É um momento de comermos a comida daquela avó que você tanto ama e que só ela sabe fazer, de rever tios e primos, e se divertir. Para os pagãos, já que o sentido do Natal cristão não se encaixa em nossas vidas, levemos isso de uma outra maneira. Olhe com outros olhos. Veja do modo que mencionei acima...
Por exemplo, os poucos natais que passei com a minha avó materna, ela queria rezar um pai nosso, uma ave maria e um terço a meia-noite, e depois, assistir a missa do galo. Nesses momentos, eu sempre ficava de lado, claro que não participava, mas respeitava.
Quanto ao montar da árvore... meu, é super legal! rs*
Eu gosto de verdade, desde criança. Tirando também o fato de que é um costume pagão...
Se não lhe agrada montar uma árvore convencional, monte uma árvore mais pagã, que foi o que eu fiz. Mas eu adoro os presentinhos e bolinhas penduradas, com as luzinhas!

Essas datas possuem egrégoras muito fortes, e todos sabemos disso. São anos solidificando-a, e não é agora, com a revolta dos 'BTs' e pink wicca que isso irá se dissipar. Não que você precise se infiltrar nessa egrégora, mas aproveite-a de outro modo, com outra visão, com uma mente aberta.
Estou cansada, realmente cansada, das pessoas virem me criticar por gostar dessas festividade, simplesmente porq sou Bruxa. Eu não devo satisfações da minha vida à ninguém, sou maior de idade e vacinada. Se sou bruxa e ainda assim celebro o Natal e Ano Novo civil com meus familiares, é um problema meu... como disse antes, isso não me faz menos Bruxa, não desonra meu caminho e nem tampouco os meus Deuses!
E 'ai' de quem abrir a boca para tentar falar o contrário!!!

Como uma mãe pagã, não irei criar minha filha com as ilusões dessa crença - cristã - nessa época do ano: como o papai noel. Mas nunca irei privá-lá de aproveitar esse momento com as pessoas que ela ama e que a amam. Um momento tão divertido para crianças, onde elas adoram ajudar a montar a árvore e esperam ansiosamente pela meia-noite para ganharem os presentes.

É tudo uma questão de opinião, claro!
Mas com conhecimento, discernimento, clareza de mente, firmeza de pensamento, acredito que não há problema algum, afinal, aquelas crenças não irão influenciar no meu caminho.
Remoer os que os cristãos fizeram aos pagãos no passado não é uma boa opção 

Pensem nisso.

Bençãos,
Aline Pandora.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Por que os Deuses possuem tantas faces?

"Eu sou a Deusa...
dos dez mil nomes
e infinitas possibilidades!"

Quando eu comecei a estudar Bruxaria, percebi que havia duas Divindades primordiais: a Deusa e o Deus, ou como preferirem, o princípio feminino e o princípio masculino.
Até aí estava tudo bem... mas complicou um pouquinho depois que comecei a ler mais profundamente e perceber que existiam mais de uma Deusa e mais de um Deus.
Aquilo que me deixou muito confusa, desorientada. Pensei: Mas não eram somente dois? Rs*
Conforme fui me aprofundando ainda mais, percebi que os Deuses possuem faces, e isso realmente confunde um pouco a cabeça de muitos de nós, principalmente no início de nossa caminhada.
Mas aí nos pegamos pensando:
Realmente são faces ou poderiam ser outros Deuses?
Começamos aí uma discussão interminável, porém explanarei minha opinião e conhecimento aqui.

Estamos carecas de saber que os Deuses são completos e complexos. Sendo assim, há muitas formas de vê-los, senti-los, entendê-los.
Eu acredito que são faces. Mas também acredito que são Deuses separados.
Vou explicar...
Para mim, os Deuses são um grande todo, que abrange todas as coisas, todos os seres e todas as faces que eles possam ter. Logo, Eles possuem várias faces. Mas também acredito que, cada face se manifeste de um jeito – como realmente é! – e que, cada uma possui uma ‘personalidade’, podemos dizer assim.
Confuso?
Ok, então vamos trazer para a nossa realidade.
Os Deuses são como nós (o micro e o macro). Ouvimos muito por aí no meio pagão, a seguinte frase: Todos somos um!
Frase linda, profunda e verdadeira. Mas você sabe realmente o que ela quer dizer?
Há muitas maneiras de interpretá-la, e uma delas é: Todos nós, seres humanos ou não, somos um, mas também somos seres individuais. Todos fazemos parte do Todo (Deusa e Deus), mas ao mesmo tempo somos seres individuais dentro desse Todo, com nossas respectivas vidas, características, personalidades e etc (faces dos Deuses).
Mas claro, essa é minha visão e forma de vivenciar. Há pessoas que pensam diferente.
Algumas pessoas não acreditam nas faces dos Deuses, e que honram somente o princípio feminino e masculino. Já outras acreditam tão somente nas faces, defendendo assim que essas faces não fazem parte do Todo e que tudo é distinto. E outras, assim como eu, que enxerga como uma junção das duas formas citadas acima.
O que irá determinar como você conseguirá enxergar os Deuses será sua prática, vivencia com Eles, conhecimentos. Calma, não será de uma hora para outra. Tudo na Bruxaria exige tempo...

Quando falamos disso, também entramos em outras questões muito legais: Panteões e Teísmos.
Para quem não sabe, os Panteões são um grupo de Deuses de uma cultura. Exemplo: Panteão Grego, Panteão Celta, Panteão Eslavo e assim por diante. Por meio dos Panteões você é capaz de conhecer e vivenciar com outros Deuses e Deusas.
Já os Teísmos são a forma que você concebe essas Divindades. Exemplo: Monoteísta, Politeísta, Duoteísta, Panteísta e assim vai. Estudando os Teísmos você consegue entender melhor a sua concepção dos Deuses e até mesmo, porque Eles possuem tantas faces. Não se surpreenda se você não conseguir encaixar sua crença em nenhum desses termos #hehe
Isso é totalmente normal, e com o tempo, você vai se encontrando dentro dos termos – o que não é muito necessário se você sabe e conhece o que você faz ;)

Ambos são assuntos extensos e que exigem bastante estudo. Eu, particularmente, adoro estudar sobre ambos, rs*
Mas vamos deixar esse papo para outro dia.
A questão é: Por que razão os Deuses possuem tantas faces?
Não seria mais simples ser somente Deusa e Deus?
Sim, seria bem mais simples, eu também acho.
Os Deuses se manifestam para nós como desejamos que Eles se manifestem. Eles se manifestam da forma que Eles sabem que para nós, é mais confortável e compreensível. Por isso há pessoas que se identificam mais com certos Deuses e panteões, pois aquela Deusa/ Deus é mais íntimo, mais próximo daquela pessoa.
Há também grandes lições para os humanos quando falamos das faces dos Deuses, pois diante desse fato, como fica a sua opinião sobre outras religiões e as Divindades dessas outras religiões? Se os deuses possuem várias faces e Eles se adéquam ao que melhor encaixa para cada um, não seria então, a face cristã dos Deuses, a face umbandista dos Deuses e assim por diante? São realmente Divindades diferentes ou simplesmente fazem parte de um Todo com características individuais? Teria então, algum fundamento você apontar o dedo na cara dos outros afirmando que o seu Deus ou Deusa é o único?
Huum, repense...
Quando os Deuses assumem várias faces, Eles se aproximam de nós, fazendo com que nos identifiquemos mais com cada um Deles, para que Eles possam nos ensinar muitas coisas, sendo uma dessas coisas de suma importância para o caminho da Bruxaria: somos Deuses também, pois fazemos parte do Todo, mas somos individuais. Somos co-criadores com Eles.
Eles possuem várias faces para nos mostrar que são absolutamente tudo, porque como diz uma amiga, há um Deus para tudo.
E aí está o grande lance e um grande aprendizado.
Parece simples, um conhecimento leviano esse que estamos abordando hoje, mas não é bem assim. Esse fato guarda grandes mistérios da Arte. Mistérios tais que se mergulharmos neles, (re) descobriremos grandes coisas e chegamos mais perto Deles.

Mas como posso me aproximar dessas várias faces?
Estudando, conhecimento, meditando.
Infelizmente, há Divindades que não mais há registros. Aí realmente fica mais difícil, mas não impossível. Podemos vivenciar com essa Divindade e Ela mesma nos revelará coisas incríveis.
Já as Divindades que achamos bastante material, estude bastante, se aprofunde. Reflita e analise, pois há muitas informações falsas. Pesquise sempre sobre a civilização daquele povo, sobre a cultura, sobre o culto daquele Deus ou Deusa. Assim, você conseguirá se aproximar ainda mais Deles em sua jornada.
Vocês perceberão que quando vocês começarem a fazer isso, muitos véus cairão e vocês irão se apaixonar por inúmeros Deuses. Irão também descobrir várias coisas antes desconhecidas por vocês, e assim, poderão dar um passo a mais na caminhada individual de vocês.

Para quem faz parte de um grupo, esse trabalho é mais fácil. Principalmente para quem possui uma Sacerdotisa/ Sacerdote. Peça auxilio nas jornadas, nas pesquisas... tenho certeza que será de grande valia.
Quanto aos solitários, não desanimem só porque é mais dificultoso. Vocês não estão sozinhos ;)

Eu realmente espero que vocês tenham apreciado a leitura e entendido um pouco o que eu quis passar.
Comentem! Comentem aqui, no grupo e página do facebook do Blog. Vamos agregar, vamos aprender juntos.
Abaixo segue o link de um vídeo que eu fiz – já faz um tempo! – para o Vlog Pagão, um Vlog que eu fiz parte. É um vídeo sobre Panteões, e será um complemento bacana para essa postagem. Quem quiser, sinta-se a vontade para assistir.


Bênçãos a todos,

Aline Pandora.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Brux@s: pessoas normais ou estranhas?

Antes de tudo, gostaria de deixar o link do vídeo onde eu explico o motivo da minha ausência em meus blogs: http://www.espiraldasbacantes.blogspot.com.br/2012/07/espiral-das-bacantes-recadinho-pandora.html

O que não encontramos no facebook, não é mesmo?
Vagando ontem, achei uma charge – fofa, diga-se de passagem! – que me fez pensar, novamente, na questão: “Ok, sou Bruxa. Mas então, eu sou estranha e o mundo é normal, ou, eu sou normal e o mundo é que é estranho?”
Já se pegou refletindo sobre isso? Eu já, muitas vezes... e admito que até hoje, por vezes, ainda reflito.
Muitas bruxas e bruxos chamam-se de especiais, escolhidos, diferentes... eu já prefiro dizer que sou estranha mesmo.
Não concordo com a visão que somos especiais nem diferentes, pois acredito que todos somos iguais perante os Deuses e temos posições igualitárias aqui nesse planeta e nesse plano. Concordo menos ainda com a visão, diga-se de passagem, pretensiosa, de que somos escolhidos. Os Deuses estão em todo lugar, para todos nós, basta querermos enxergá-los e aceitá-los dessa maneira. Não levo o nome Bruxa como um título, e sim como uma descrição de mim!
Sou estranha ou no máximo, fora dos padrões. Aos 12 anos, lia livros de história, magia e ocultismo, fazia feitiços, observava as estações do ano e as fases da lua; gostava de ficar a tarde toda sozinha no parque, escrevendo num caderno que chamava de “livro das sombras” e imaginando histórias mil para a minha vida afora. Hoje, aos 20, não é muito diferente, tirando o fato que cresci e me tornei efetivamente uma bruxa!
Sempre me identifiquei muito com ela, Hermione.
A garota estranha, metida a sabe tudo, com seus livros :)
Depois que conheci a bruxaria, mudei muito, e ai as pessoas começaram a quebrar o estereotipo de “garota mimada e metida” para me estereotiparem como “a garota estranha”. Nunca me senti assim e, muito ao contrário do que eu pensava, isso não afastava as pessoas de mim... somente as faziam ter mais curiosidade e saber que livros eram aqueles que eu tanto lia nos intervalos da escola. Sempre se fascinavam com as imagens das capas e as frases fantásticas, do tipo: “Cuidado com o que desejas!”; “Faça o que quiser desde que não prejudique nada nem ninguém!”; “Semelhante atrai semelhante!” e por aí vai...
E eu odiava ter que explicar tudo isso para elas, pois, desse modo, me sentiria deslocada e sim, meio estranha. Ninguém acreditava naquilo e nem ao menos tinha ouvido falar alguma vez...
Os coleguinhas dizendo: “Minha mãe disse que você está errada, e que precisa ir para a igreja!”. A professora dizendo: “Preciso conversar com a sua mãe!”. A diretora fazendo-me ler trechos da bíblia após pegar-me lendo um livro sobre Quiromancia... Que mundo estranho era aquele que as pessoas gostavam de ser ignorantes? Que mundo estranho era aquele que as pessoas fingiam que eram interessantes? Que mundo estranho era aquele que ninguém queria aprender nada de novo, que ninguém gostava de livros e que queriam viver somente aquela “vidinha medíocre de adolescente”?
Definitivamente, “aquele” mundo não era pra mim...
Aos poucos, fui me fechando no meu mundo e o moldando do meu modo. Quando, derepente, percebi que cresci... e cresci num mundo onde as pessoas com quem eu convivia não me conheciam de verdade. Afinal, não podia me revelar... eu era estranha!
Mas, certo dia, num surto adolescente, exclamei: “Chega! Quero ser quem sou e mostrar isso para o mundo!”, e me revelei...
Percebi que para alguns já não fazia mais diferença; para outros, nunca fez; já outros até se interessavam, mas possuíam outras prioridades; alguns se interessavam bastante e pediam-me feitiços para conseguir que “o carinha” gostasse da fulana;
Fiquei feliz ao perceber que eu podia ser quem eu realmente era, pois não fazia diferença pra ninguém.
Mas foi me dando uma dor no peito, um vazio no coração ao perceber que eu nunca recebia um elogio por ser quem eu realmente era, e nem nunca encontrava pessoas que compartilhassem comigo daqueles mesmos gostos. Ai pensei: “É, acho que eu sou o problema. Eu sou realmente estranha!”.

Certo dia, conheci um menino, e comecei a gostar dele. Lutei muito para conseguir ficar com ele, e consegui, porém tinha medo de dizer a ele o que eu praticava, no que eu acreditava, e quem eu realmente era: uma bruxa!
Demorei alguns anos – mais precisamente 1 ano e meio – para contar-lhe a verdade, e quando contei, cheia de receio, ele se virou para mim e disse: “Você é estranha, hein!”
#ahã,eujásei...
Mas logo completou: “Mas eu gosto assim! Diferente de todas as outras, e por isso, especial para mim!”.
Estou casada com esse “menino” hoje, e esperando um bebê...
Depois, fui encontrando pessoas que gostavam das mesmas coisas que eu e que eram como eu! Hoje, faço parte dessa família mágica.

Percebi que não sou estranha, nem o mundo é estranho. Somente aprendi que somos diversidade, diferentes uns dos outros, e que os Deuses são essa diversidade também, manifestos em cada um de nós!
Ser Brux@ é somente levar a vida de uma outra maneira, acreditar em coisas até mais normais do que as que outras pessoas acreditam hoje em dia. Já havia “estranhos” antes de nós, não é mesmo?!
Amo ser estranha, e levar essa vida cheia de estranheza e magia que levo todo dia...
Agora entendo J.K Rowling, autora de Harry Potter, quando diz que os não bruxos são trouxas; não é por nada não, mas concordo com ela. Trouxas de não saberem como é ser estranho nesse mundo tão particularmente normal, mas que em seu centro está sempre em mutação, celebrando a plena diversidade do ser!

Aline Pandora

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Bruxaria Cristã e coisas afins

Esses dias, eu estava no facebook e estava ocorrendo num grupo o debate sobre bruxaria cristã e coisas relacionadas. O grande problema desses debates é que as pessoas se perdem tanto em ego e em suas "verdades absolutas", que acabam saindo da verdadeira ênfase do debate - que, naquele caso era se, era correto o fato de um evento pagão em prol dos animais levar um o nome de um santo cristão, no caso, São Francisco de Assis. E assim começou o debate, se desenrolando e abrangendo vários assuntos... mas o que realmente me chamou atenção foi a bruxaria cristã, que já é um assunto bem polêmico a muitos anos na Bruxaria.
Eu não participei do debate, mas acompanhei e resolvi, baseada nos absurdos que li, abordar esse assunto aqui, lembrando sempre que é uma opinião minha, ou seja, baseada em estudos e pesquisas feitas por mim. Portanto, é uma conclusão que eu cheguei para tal assunto, sendo assim, a MINHA verdade.


Fico cada vez mais boquiaberta com as pessoas que consideram as suas verdades como verdades universais. Elas estudam, pesquisam, tiram suas próprias conclusões, e depois saem espalhando para os quatro ventos que aquela visão - ou seja, a própria - é a única e verdadeira. Vemos muito isso em debates...
A questão da Bruxaria Cristã é ampla e interminável – na minha singela opinião. Justamente por haver muitos pontos de vista e maneiras de praticar e enxergar a própria bruxaria.
Há pessoas que enxergam a Bruxaria como religião – assim como eu! – e que, por isso, defendem a idéia de que é inconcebível a junção das duas crenças – paganismo e cristianismo. Em contrapartida, há pessoas que enxergam a Bruxaria somente como um ofício e que, por isso, reside em toda e qualquer religião – para mim, isso é magia ou então, como preferirem, feitiçaria. E, há também aquelas pessoas que têm a Bruxaria como uma filosofia de vida, ou seja, você pode seguir qualquer religião juntamente com o modo de vida da Bruxaria, uma não interferindo na outra – isso para mim não existe e, pessoas que levam a vida dessa forma são, simplesmente, pessoas que trabalham a espiritualidade.
O fato é que, a Bruxaria é levada levianamente por muita gente ainda. Mas enfim...
Bruxaria Cristã, em minha opinião, não existe. Assim como não existe Bruxaria Nórdica, Bruxaria Grega, Bruxaria Celta e por aí vai... existem sim, Tradições dentro da Bruxaria que trabalham mais com as energias Nórdica, Grega, Celta e também, com a Cristã – certo ou errado? Não sei, mas o fato é que existem pessoas que praticam dessa forma. E se é certo para elas, quem sou eu para contradizer?!
Cada vez que você fecha os olhos para a
realidade, vendo somente aquilo que lhe é
conveniente, você está negando uma parte
dos Deuses. Muito mais do que sermos
bruxas e bruxos totalmente fiéis aos nossos
Deuses e Deusas, precisamos ser bruxas e bruxos
cientes de nossa história.
- Lâmina 2 de Espadas do Tarô - 
Para mim, o que realmente existe nessa miscelânea toda é: pessoas que são cristãs, mas que trabalham com a espiritualidade de alguma forma ou até mesmo, trabalham com o ofício da magia, que seriam as benzedeiras, as rezadeiras e etc. Mas isso é, PARA MIM! Vocês compartilham da opinião? Ótimo. Não compartilham? Tirem suas próprias conclusões e venham defender seu ponto de vista.
Porém, quando falamos de bruxaria cristã, entramos no mérito dos santos: seriam os santos Deuses e Deusas com outra roupagem?
Nesse quesito, há também várias opiniões. Tem gente que defende que sim. Tem gente que defende que não. #Whatever...
Porém... o fato é que, historicamente, sabemos que vários Deuses/ Deusas e festividades, assim como crenças, do paganismo foram convertidas para o cristianismo, ou então demonizadas. Isso não é novidade para ninguém! Partindo desse preceito, o que te faz ser pretensioso o bastante para pensar que os santos/ santas do cristianismo não são os Deuses/ Deusas do paganismo? Reflitam comigo... se existem panteões diversos – sejam eles pagãos ou não! – é porque vários povos entendiam a conseguiam enxergam a Divindade de diversas maneiras. Sendo assim, Afrodite é para os gregos, mas é Freya para os Nórdicos. São Deusas diferentes? Para alguns sim – aqueles que ainda não entenderam que nós somos humanos e precisamos classificar os Deuses/ Deusas como melhores ou piores, mas a essência é a mesma. E o que, na verdade, são os Deuses se não essências divinas, imanentes e transcendentes? Energias...
Logo, se existe panteão grego, romano, nórdico, celta, e etc... por que não pode existir um panteão cristão? Só porque é da igreja? Não seria até mais “justo” ou coerente enxergarmos dessa maneira – panteão cristão – já que sabemos que nossas Divindades foram levadas para o Cristianismo?
Sendo assim, São Francisco de Assis para os cristãos, mas poderia ser representado como Apolo, Cernnunnos ou até mesmo Pã, para os pagãos.

Você não vê assim? Você não celebra assim? Essa tese não te agrada?
Bem, aí já são “outros 500”, não é mesmo?! Pois esse fato que acabei de relatar é histórico. E quem estudou – e estuda! – um pouco sobre a história da Bruxaria sabe disso.
Eu vejo assim – temos que ser realistas! Independente d’eu acreditar ou não, celebrar ou não, é verdade. Não posso fazer da minha verdade, a verdade de todos. Houveram pessoas antes de mim que estiveram lá, viveram isso, ou até mesmo, pessoas que estudaram esse assunto muito a fundo, e PROVARAM que foi assim. Eu vou colher esse conhecimento e guardá-lo para mim. Vou usar em minha prática? No meu caso, não, pois como disse acima, para mim isso é inconcebível, mesmo que eu saiba e ache fascinante – sim, adoro história da bruxaria! – o fato dos Deuses/ Deusas que eu cultuo hoje serem os santos/ santas das igrejas cristãs. São preconceitos e tabus dentro de mim que ainda não consegui quebrar, para chegar ao ponto desse fato ser irrelevante na minha prática. Mas há pessoas que já ultrapassaram isso – ou até mesmo, isso nunca existiu dentro delas! – e que celebram dessa maneira, independente de levarem a Bruxaria como religião, ofício ou filosofia de vida, que é o caso da pessoa do debate.
Essa tese me agrada? Sim, e muito. Nos faz perceber que somos muito pequeninhos ainda diante do grande mistério que são os Deuses. Precisamos “comer muito feijão”, como se diz por aí, para podermos transpor as barreiras que nos limitam, como por exemplo, negar um fato histórico somente porque não me agrada.

O triste fato é que, infelizmente, alguns pagãos – a maioria – não consegue desprender-se do ódio mortal que alimentam dentro de si com relação a igreja e a qualquer coisa que se relacione com o cristianismo. E, com isso, se fazem de vítimas o tempo todo, com os argumentos: “Eles roubaram nossas crenças, nossos Deuses/ Deusas e ainda tem pessoas que se diz pagão, mas que cultua os santos Deles!”. Sim, eles roubaram nossas crenças, nossos Deuses/ Deusas, é fato... você ficou sabendo disso quando leu algo com relação a Inquisição? – bem provável! Então, você deletou a parte que diz os santos deles são como são hoje somente porque a igreja deu aos nossos Deuses/ Deusas outros nomes?

Estudem, pensem, reflitam... desprendam-se das barreiras da ilusão que fazem você achar que a sua verdade é o fato histórico (hahaha!).

Até a próxima postagem!

Bençãos,
Aline Pandora.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dia 25 de Maio - Dia Mundial do Tarô



Olá povo mágico e querido!
Primeiramente, gostaria de pedir desculpas pela demora das postagens - não demorei tanto quanto das outras vezes! rs. Na verdade, estou bastante atarefada, e por vezes, precisamos nos focar no nosso caminho espiritual individual, e esquecer um pouco os "Blog's e Vlog's da vida"... hehe. Ainda não fiz tuuuudo o que eu tinha que fazer individualmente mas, as coisas já desafogaram um pouco, então resolvi dar uma regularizada aqui. Não adianta... não consigo ficar muito tempo longe!

Ai, ai... como é bom falarmos de coisas que gostamos, não é mesmo?!
Hoje, vamos falar de um assunto que eu gosto muito, e que é somente uma das minhas infindáveis paixões: o Tarô!
Temos o dia de tudo e de todos... graças aos Deuses, uma pessoa tão apaixonada quanto eu - ou talvez até mais! - idealizou um dia somente para esse oráculo tão divino e maravilhoso que é o Tarô!
Eu fico muito feliz e lisonjeada com esse dia, pois sou taróloga além de estudiosa. Fico feliz de saber que o tarô está sendo difundido e compreendido por mais e mais pessoas pelo mundo, o que significa que, a cada dia, mais e mais pessoas estão abrindo os olhos para a espiritualidade, a transformação, a grandiosidade de seu ser e do Divino que reside dentro de nós, além de existir em tudo!
E, é claro, que não posso esquecer de agradecer a pessoa que me apresentou esse lindo oráculo: Lua Serena. Ela, que sempre me apresenta tantas coisas, não deixaria de me apresentar isso também... Graças à ela, hoje reconheço, amo e compartilho dessa maravilhosa ferramenta oracular, arcaica e mistérica que é o Tarô!
Gostaria de parabenizar todos os VERDADEIROS tarólogos e tarólogas, e principalmente, áqueles que lutam para difundir o tarô, que o utilizam para ajudar as pessoas e mostrar o que ele realmente é!
É uma tradição deste dia - desde que ele foi fundado - fazer algo pelo tarô. O objetivo é fazer as pessoas perceberem o real significado e simbolismo do Tarô - o auto-conhecimento, a transformação, a ajuda ao próximo e a conexão com o Divino! E eu decidi colaborar com essa tradição, criando o pequeno concurso "Faça algo pelo Tarô". As pessoas que fizerem o melhor comentário nessa postagem, respondendo a pergunta: O que o Tarô representa em sua vida?, GANHARÁ UMA CONSULTA GRATUITA, feita por mim. O meu objetivo é ajudar alguém... simplesmente, conseguir levar uma pequena luz na vida das pessoas que obtiveram uma resposta por meio do Tarô.
A pessoa ganhadora terá 24 horas para me mandar uma pergunta via e-mail (blogmeulivrodasombras@yahoo.com.br), e eu responderei com a consulta, também via e-mail. O concurso vai ter a duração de 1 semana, terminando assim, dia 01 de junho.
Eu conto com a participação de vocês e aguardo ansiosamente para saber quem será o sortudo ou sortuda!
Boa sorte à todos...

Bem, antes de começar a postagem, falando um pouquinho mais sobre a criadora do Dia Mundial do Tarô, gostaria de exibir o resultado da enquete anterior:

"Você concorda com a visão colocada no quadro 'Tarô e as Deusas', sobre a relação do Arcano I - O Mago e a Deusa Deméter?
52%  Sim, concordo. Mas tenho coisas a acrescentar!"

Como disse na postagem sobre o Arcano I e a Deusa Deméter...eu, particularmente, tenho dificuldade em ver ligações entre esse arcano e essa Deusa. Com certeza, a autora ressaltou em seu trabalho - O Tarô das Deusas Universais - uma visão bem particular, que nem todas as pessoas conseguem enxergar, Há arcanos e Deusas - como no arcano 0 - que a ligação é evidente, mas nem todos são assim.
Contudo, agradeço à todos que votaram na enquete. A opinião de vocês é muito importante para mim, ajudando na evolução do Blog e também na minha própria. Porém, peço que debatam comigo... tem coisas a acrescentar? Acrescente. Para isso existe a página de comentários. Vamos fazer a troca de conhecimentos, opiniões... todo conhecimento e opinião é válido e bem vindo!
E continuem votando...



Obs: As fontes pegas para desenvolver essa postagem, são citadas no final da mesma.

DenElder

Criado por DenElder, uma escritora prolífica, que inclusive, também é criadora da Church of Tarot (Igreja do Tarô).
Criado no ano de 2003, como diz a própria, o objetivo do Dia Mundial do Tarô é "prover aos leitores, estudantes professores e entusiastas do Tarô, mundo a fora, uma celebração do espírito do Tarô, e tirar um dia para promover o uso do Tarô pelo benefício e crescimento do ser espiritual!".

Eu consegui num site – muito interessante, por sinal! – uma entrevista muito legal com a DenElder. E vou compartilha-lá com vocês!

O que inspirou você a começar o Dia Mundial Tarô?
DenElder: Minha inspiração começou com dois "problemas" na seleta comunidade que adere ao tarô. Primeiro foi o escândalo, onde o anúncio de televisão mostrava uma mulher com um sotaque jamaicano. Bem, ela era apenas uma atriz fazendo um trabalho, mas a notícia deve ter sido lento, em seguida, apenas porque fiquei totalmente fora de proporção e tarô veio para fora olhando como todos os envolvidos deve ser um artista do scam.
Em segundo lugar, foi o "Open Letter" conflito ao mesmo tempo... da qual eu não penso mais precisa ser explicado? Uns montes de gente boa ficaram feridas e novamente houveram algumas pessoas que saíram com uma opinião maculada de tarot, e outros deixaram a comunidade tarot queimada.
Há tantas coisas ruins sendo ditas, mesmo entre as pessoas do tarô. Eu queria um dia de "comemoração" ao menos. Um dia para compartilhar o nosso amor por esta ferramenta e superar as nossas diferenças. Um dia somente, para todo mundo se unir e se divertir um pouco de uma forma agradável e fazer um esforço para ajudar aqueles não familiarizados com o tarô, para perceber que tem um monte de atributos positivos.

O que você vê como o futuro para esta data?
DE: A minha visão para o futuro é simples. Eu quero que isso cresça mais do que eu e possa ser colocado no calendário para que todos, pelo menos uma vez por ano, possam parar e considerar o tarô como um insight valioso para o crescimento pessoal e espiritual. A grande maioria das pessoas que conheço utilizam esta ferramenta, o usam para tal fim. Eu quero mais pessoas para vir a perceber este valor.

Para qual finalidade você utiliza o tarô, pessoalmente?
DE: A orientação espiritual, meditação, esclarecimento intuitivo, quando eu preciso de um pequeno ajudante. Eu sou uma psíquica forte que eu quase nunca uso tarô para fins de adivinhação para mim.

Qual é o seu baralho de tarô favorito?
DE: Meu uso de plataformas são Tarot do Caminho Velho e Waite Universal, apesar de minha coleção Tarot tem bem mais de 500 plataformas. 

O que você diria que são alguns dos principais benefícios da utilização do tarô?
DE: Ele ajuda cada pessoa tocar em seu próprio Ser e intuição. Todas as respostas estavam dentro de nós, mas nós só temos uma dificuldade de audição, de modo que o tarô ajuda-nos a ouvir aquela voz ainda pequena dentro de cada um de nós. Afinal, ninguém nos conhece como nós mesmos.

Como celebrar o Dia Mundial Tarô

* Dê a alguém uma leitura de Tarô.
* Obter uma leitura de Tarô.
* Use o Tarô como uma ferramenta de meditação e contemplar seu propósito de vida.
* Escreva um conto baseado em uma ou mais cartas do Tarô.
* Explorar os usos mágicos de Tarô.
* Organizar um evento de Tarô em sua cidade.
* Use o Tarô de uma forma totalmente nova que você nunca tentou antes.
* Usar algo especial para prestar homenagem a um dos naipes.
* Pesquisa e aprenda pelo menos um fato novo sobre a história do Tarô.
* Faça uma lista de tudo que você ama sobre Tarô.
* Estabeleça algumas metas para o desenvolvimento de seu conhecimento de Tarô.
* Compre um baralho de Tarô novo.

Fontes:

Espero que tenham gostado da postagem!
Beijos e até a próxima...

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Vamos nos movimentar pelo mundo?


Olá pessoal!
Como vocês podem perceber, o Blog está a todo vapor. Espero que vocês estejam tão felizes quanto eu...
Hoje postei – como prometi! – mais um Arcano no Quadro “Tarô e as Deusas”. Não deixem de conferir e botarem a boca no trombone para acrescentar opiniões, elogiar, criticar ou simplesmente comentar.
Peço também, mais uma vez, que votem na nova enquete! É somente um clique e não irá tomar mais tempo de vocês J
Publico aqui o resultado da enquete passada:

“Você gostou do quadro Tarô e as Deusas?
Sim, gostei muito (100%)”



E aguardem, pois já, já postarei um novo assunto, que inclusive é super necessário para a Bruxaria.
Mas, além desses recadinhos de praxe, tenho uma coisa muito importante para falar à vocês. Coisa pela qual inspirou o titulo dessa postagem.
Eu fiquei sabendo de um site de petições que podemos assinar e fazer algo pelo nosso mundo, que são os Deuses.
Dando uma breve olhada por lá, vi duas petições muito importantes de serem assinadas, que são:

Pelo Avanço da Proteção Penal ao Meio Ambiente e aos Animais

SOS para os Bichos de Rua

Pessoal, é somente 1 minutinho do tempo de vocês. E se caso vocês concordarem com a proposta descrita, assinem. Precisamos unir forças para fazermos do mundo em que vivemos um lugar melhor, para todo tipo de vida!
Lembremos sempre que ser pagão não é somente ter conhecimentos legais, celebrar sabaths e esbaths, etc. Temos que ter a consciência ecológica e humana também, pois um Bruxo, uma Bruxa de verdade nunca esquece que TUDO e TODOS são os Deuses!

                                         “O Todo está em Tudo, e o Tudo está no Todo!”

Pensem na profundidade e veracidade dessa afirmação, e façam a diferença também!

Até a próxima postagem!

terça-feira, 24 de abril de 2012

O Santuário do Paganismo


Santuário do Paganismo

Olá pessoal!
Enfim, um espaço público para nós celebrarmos, sem medo e sem restrições, os Deuses! Toda religião tem um espaço, por que não nós?
Ao saber dessa notícia, fiquei realmente explodindo de felicidade. É uma grande prova de amor pelos Deuses e pela nossa crença, além de ser uma grande evolução para a própria comunidade bruxística. Podemos ter esperanças de deixar algo para nossas gerações futuras...
Podemos perceber também como “pequenas” pessoas podem fazer grandes diferenças. Nosso mundo pagão não é feito somente de eventos bonitos e legais, onde podemos comprar, nos encontrar e sermos felizes... temos que ter um lugar onde REALMENTE cultuamos os Deuses. E está aí, o SANTUÁRIO DO PAGANISMO. O SANTUÁRIO dos Deuses.
Temos que agradecer a essas pessoas e mais, nos juntarmos a elas, e fazermos ainda mais! E que venham mais projetos por ai...
Nunca esqueçamos dos Deuses nessa história toda! Agradecer á Eles por terem nos ajudado a tornar isso possível, em nome Deles.
Que assim seja, sempre! )O(

“No dia 14 de abril foi inaugurado o Santuário do Paganismo, em Santa Isabel, São Paulo.
O Santuário foi concebido pelo Instituto Ubiratan de Ciências de Religião e da Magia e está situado dentro da sede do Instituto, local com uma área de aproximadamente 6 mil m².
No espaço dedicado ao Santuário do Paganismo, foram concebidos inicialmente 3 ambientes: área da fogueira com 40m² , círculo de pedras com 70 m² e área gramada de 50m² com cachoeira, em meio a uma área verde preservada e poderão ser locados e utilizados para cultos, rituais e eventos.
Numa próxima etapa, estarão contemplados um jardim zen, uma área com pirâmide e um espaço tântrico.
Para a inauguração estão confirmadas as presenças de alguns nomes de destaque das religões pagãs, como o Xamã Léo Artese, a Bruxa Tânia Gori e o musicista Valter Pini.
No espaço dedicado ao Santuário do Paganismo, foram concebidos inicialmente 3 ambientes: área da fogueira com 40m² , círculo de pedras com 70 m² e área gramada de 50m² com cachoeira, em meio a uma área verde preservada e poderão ser locados e utilizados para cultos, rituais e eventos.
Numa próxima etapa, estarão contemplados um jardim zen, uma área com pirâmide e um espaço tântrico.
Para a inauguração estão confirmadas as presenças de alguns nomes de destaque das religões pagãs, como o Xamã Léo Artese, a Bruxa Tânia Gori e o musicista Valter Pini.”

Santuário do Paganismo
Rod. Vereador Albino Rodrigues Neves, km 56,5
Tel. para contato: (011) 9892-0750 e 7572-1663





quarta-feira, 18 de abril de 2012

Recadinhos...


Olá povo mágico!
Tenho alguns breves recadinhos...

Primeiramente, gostaria de agradecer á todos vocês que votaram na enquete passada e ajudaram o Blog Meu Livro das Sombras a dar mais um passo a frente. E o resultado foi:

"O que você achou do visual do Blog Meu Livro das Sombras 2012?
Gostei, e gostaria que permanecesse assim. (69%)"

Tem nova enquete no ar. Por favor, continuem votando...





Gostaria de anunciar também que o quadro tão esperado por muitos, "Tarô e as Deusas", está inaugurando hoje, com o Arcano 0 - O Louco. Tenho a ajuda da minha querida e amada amiga e Sacerdotisa, Lua Serena. Ela escreve sobre o significado geral da carta.
Está imperdível! Estacionem suas vassouras lá e não esqueçam de deixar um "comentário incentivo"... hehe.
Juntamente com a inauguração do quadro, temos também o facebook do Blog Meu Livro das Sombras. Lá acontecerão mini debates das postagens do Blog. Será muito enriquecedor, participem:


Gente, temos também novidades na página dos "Eventos Pagãos". Uma palestra maravilhosa sobre o povo Maia, ministrada por Elfo Lunar, no capítulo RosaCruz da cidade de Taubaté. Quem quiser e puder vir, serão com certeza muito bem vindos!

E aguardem, pois semana que vem sai a próxima postagem quentinha do caldeirão!

Por hoje é só!
Aproveitem bastante...